Pesquisas Econômicas

As principais funções do departamento são:

  • Analisar em profundidade a situação política e macroeconômica brasileira assim como as tendências dos principais setores da economia.
  • Providenciar informação com o intuito de prestar suporte estratégico ao banco 
  • Atender os clientes locais e estrangeiros através de reuniões, conference calls e análises específicas.

Acompanhe aqui os principais relatórios da nossa equipe de Pesquisas Econômicas. Além disso, nossos economistas acompanham as economias de outros países da América Latina (Argentina, México, Chile, Peru e Colômbia) e a realizar previsões mensais sobre suas moedas.

Você pode conferir alguns desses reports clicando nos links abaixo:

 

MUFG Brasil Podcast

Em novo episódio do MUFG Brasil Podcast, Carlos Pedroso, nosso economista-chefe, analisou a decisão do Banco Central na última reunião do COPOM. No podcast, Pedroso falou sobre a decisão unânime do aumento da taxa SELIC e os fatores que influenciaram essa decisão. Ao final do episódio, nosso economista ainda compartilhou a projeção do MUFG Brasil para taxa de juros e as expectativas para a inflação nos próximos anos.

Ranking FocusEconomics

Nossa equipe de Pesquisas Macroeconômicas conquistou o 3º lugar geral de indicadores brasileiros no último ranking global da FocusEconomics. Esses prêmios reconhecem as equipes de pesquisa que mais precisamente previram os principais indicadores macroeconômicos em 89 países, com 22 preços diferentes de commodities, em 2019. Para identificar os principais analistas econômicos, a FocusEconomics avaliou a precisão das previsões enviadas por mais de 350 instituições à sua previsão de consenso, ao longo de 22 meses. Clique aqui para saber mais.

RELATÓRIO ECONÔMICO MENSAL - MAIO 2022

1. Governo

  • Nenhuma mudança na corrida presidencial.
  • Situação fiscal pode não ser um problema neste ano.
  • Mas a nova administração pode continuar comprometida com as reformas.

2. Atividade Econômica

  •  PIB registrou 1,0% no 1T22 e trimestres anteriores foram revisados para cima.
  • Esse bom começo nos fez revisar o crescimento do PIB de 2022 para 1,7% e no próximo ano para 0,8%.
  • O segundo semestre pode ser mais problemático por causa da inflação que afeta o poder aquisitivo, o impacto da elevação da taxa Selic e do ambiente eleitoral.

3. Política Monetária

  •  O Banco Central elevou a taxa Selic em 100 pbs para 12,75%.
  •   E deixa a porta aberta para outro aumento em junho.
  •   Esperamos um resultado final de 75pbs para 13,50%.

4. Setor Externo

  • O cenário externo melhorou em maio e houve valorização do Real.
  • Mas, consideramos que o Real pode consolidar níveis mais fracos que 5,0 ao longo do segundo semestre.
  • Nossa previsão é uma taxa de fim de ano de 2022 em 5,6.

Para acessar o relatório na íntegra, clique aqui.